domingo, 22 de maio de 2011

O teu segredo


Olha… Sim, tu. Estou a falar contigo. Não interessa que não me conheças. Não importa que não consigas ver-me. Escuta-me apenas. Deixa que as sílabas que se soltam da minha voz te penetrem os ouvidos. Deixa que calem o silêncio que te rodeia.
Do que vamos falar? Dizem que o tempo é o assunto que os estranhos escolhem para abater a distância entre si. Nunca deste por ti a falar do frio que, há dias, não te deixa guardar o casaco na gaveta? Ou do calor que te faz beber litros de água, quando acordas de madrugada?
Acho que todos já o fizeram. Mas, mesmo assim, continuo a achar meio tolo que, ao estarmos ao lado de alguém de quem não sabemos nada, só queiramos descobrir a sua opinião sobre a meteorologia.
Podíamos falar de outro assunto. Pode ser?
Tens um segredo? Não, claro que não deves contar-me. Mas podes falar-me dele. Quando descobriste que era o teu segredo? O que é que sentes quando os outros falam sobre ele, sem saber que o guardas numa caixinha misteriosa?
Eu também tenho um segredo… Um dia, gostava que alguém o descobrisse, sabes. Para não pesar tanto, este baú que trago comigo para todos os lugares. Assim, podia partilha-lo; pousá-lo sobre as mãos de outra pessoa, enquanto descanso os músculos doridos de o carregar. Se quiseres, podes tentar. Eu gostava. Tu não?
Se eu tentasse descobrir o teu segredo, ajudavas-me a libertar o meu?
Também não se como se faz, mas se trabalharmos juntos, talvez se torne mais fácil. Amanha, quando voltar, prometo aproximar-me um pouco mais. O suficiente para conseguirmos ver o perfil um do outro. E daqui a uns dias, se vieres, estaremos perto o bastante para conhecer a cor dos olhos um do outro.
Prometo esperar. E tu?

8 comentários:

Mário disse...

é uma historia que gosto particularmente, alguns ficaram doentes no navio, apesar de nao se sentir qualquer balanço no mar com o titanic, muitos enjoavam (talvez efeito psicologico), mas este coitado nao teve hipoteses, mas tambem morreu em parte por culpa do egocentrismo dele.

Mário disse...

pois é, é compreensivel, como por exemplo a corrida ao cofre do comissário para rever as joias, acaba por ser um pouco contraditorio, confiarem que o navio nao se afunda mas ao mesmo tempo correrem para ir buscar as joias...

Ana Rita Correia disse...

Pois, contraditório, é.. Só não pensaram que se, de facto, o navio fosse mesmo afundar as joias nao serviam de nada.
As pessoas quando são postas numa situação de pânico fazem coisas estranhas. É como se fosse o seu sub consciente a agir..

Mário disse...

ate poderiam servir, para venderem caso precisassem, mas dinheiro tambem era coisa que os passageiros da primeira classe nao sentiam falta! como a Lady Duff Gordon disse para a sua empregada no meio do escuro no bote "Lá perdeste a tua bela camisa de dormir..." como se isso fosse a maior perda naquela noite =)

Mário disse...

ando a tentar sacar isto para musica de fundo http://www.wix.com/rms_titanic/titanic#!__il-disastro
e ainda nao consegui! U.U quando conseguir o meu blog vai ficar um espanto!

Mário disse...

tinham a mania que eram famosos que até embarcaram com o falso nome Morgan. =P e o marido dela prometeu a cada um dos tripulantes do seu bote que pagaria por terem perdido as suas ferramentas de trabalho como persuação a não retornarem para salvar pessoas (12 pessoas ao todo num bote para 40)

Mário disse...

apesar dele ter desmentido isto no inquerito a verdade é que ele ofereceu cinco dolares a cada um para comprarem as suas ferramentas ja que a white star nao lhes pagava indemnizaçao. tambem entendo por um lado o medo que era no escuro ouvir os gritos e arriscar voltarem e se afundarem ou com o navio ou com as pessoas que se iriam agarrar para subir ao bote.

Mário disse...

a tripulação também tinha receio de colocar muitas pessoas, não houve um treino, além disso esperavam que os botes voltassem e havia a ideia bem consolidada que o navio não ia ao fundo. sabes que as pessoas hoje falam muito como é possivel acontecer isto ou aquilo com um navio a afundar-se, acontece que aquela gente simplesmente não conseguia conceber a ideia de o titanic afundar-se e garantidamente uns 90% delas não sabia disso até ver que o navio foi mesmo ao fundo.