domingo, 10 de junho de 2012

"You show me the world as it could be"


Hoje é o dia. O ontem passou e o amanhã está longe de mais. Por isso, sim, é hoje o dia. O momento pelo qual esperas desde sempre. A hora que traz guardada em si a decisão que tomaste e não soubeste revelar a ti mesmo.
Não finjas mais. Não te obrigues a acreditar que não sabes. Sempre o soubeste. E é hoje o dia de to revelares.
Vês essa estrada? É estreita de mais para a percorreres acompanhado. É tua. Só tua. Sei que o horizonte fica longe, mas é para lá que todos caminham, noutras estradas iguais, se bem que distantes. Não vês que todos os outros já partiram? És o único que resta. Atrasado por razões que tu próprio criaste.
É hoje o dia. O teu dia. Não penses naqueles que partem acompanhados. Não serão melhor sucedidos por isso. A vitória encontrar-te-à algures pelo trilho. Basta que mantenhas os sentidos alerta e não baixes os olhos ao passar por ela.
Mas não percas este momento. Vai. Este é o dia em que ninguém mais depende de ti; em que podes procurar aquilo que queres ser. Sem ninguém a puxar-te e a pedir-te que fiques.
E não tenhas medo. Eu vou estar lá na outra ponta à tua espera. Porque o caminho tens de ser tu a percorrê-lo, mas na chegada celebraremos lado a lado.

1 comentário:

Mário disse...

Eu tenho a certeza que vim aqui depois do dia 10 e não tinha visto nada, ou então tinha de ser assim, vir aqui hoje para que fizessem sentido para mim estas palavras que escreveste lá atrás, ou o tempo passa tão depressa que nem damos por ele.