quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Segredo



Vou-te contar um segredo. Shhh... Escuta-me apenas. Não digas nada que possa levar-me, sem querer, as palavras que tenho na ponta da lingua.
Quero segredar-te um pensamento, uma história que mais ninguém conhece ou pensa existir. Será o nosso segredo. Aquilo que partilharemos, daqui em diante, com um simples olhar. Aquilo que nos fará sorrir, discretamente, quando outras pessoas estiverem por perto.
Espera, deixa apenas que a noite caia. A luz pode roubar-nos o intimismo. Os segredos precisam de ser protegidos, guardados em caixinhas de veludo e arrumados em cantos que mais ninguém conheça. Onde só tu e eu saibamos ir buscá-los, quando se torne doloroso guardá-los por mais tempo.
Sim, um segredo... Não é empolgante?
Confias em mim? Então chega mais perto. Encosta o teu rosto ao meu, para que possa sussurrar-te ao ouvido estas palavras. Pronto?
"Obrigada".

Agora não te esqueças. Guarda esta caixinha junto ao coração. Para que nunca a percas e para que, quando mais fraco, te lembres que há alguém que acompanha o ar a percorrer-te as veias...

1 comentário:

Mário disse...

ainda tens 15 anos para o lá ir ver! =) mas como disse o presidente da sociedade, talvez agora se descubram outras coisas que ficariam escondidas para sempre e desconhecidas.