sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Essa pequena dor



Quando te sentires triste, não penses que é tua a culpa. Não penses que há um culpado, sequer. Porque é que a tristeza tem de ter um autor, se a alegria é tantas vezes espontânea?
Deixa-te sossegar enquanto a nuvem negra passa. A tristeza cairá sobre ti em forma de gotas de água salgada, mas não a afastes. É só sinal de que se aproxima o momento da calmaria.
Quanto te sentires entristecer refugia-te do frio que gela e afasta-te também do calor que sufoca, para que a tua pele se mantenha húmida. Mas não fujas. Ela passará. Tal como a felicidade é efémera, também essas lágrimas morrerão ao caírem dos teus olhos.
Deixa que o mundo continue a mexer-se em teu redor. Afasta-te se ele vier ao teu encontro para que o seu toque não magoe. Mas fica por perto, não vá a alegria voltar de repente e apanhar-te desprevenido num canto solitário do mundo.

2 comentários:

Mário disse...

e no entanto o mundo continua exactamente na mesma...

Fillip disse...

Sou só mais um desconhecido qualquer perdido na internet, tal como tu o és para mim. Mas preciso de dizer Obrigado. Obrigado por estas palavras que não podiam chegar até mim num momento mais certo.
Uma reflexão linda a tua.
Sigo este espaço a partir de agora, na esperança de ler mais reflexões destas em momentos tão ou mais oportunos que este.

Um abraço,
André Filipe.