sábado, 12 de novembro de 2011

.


Quando era pequena, costumava escrever nos postais do Dia da Mãe que tinha a melhor mãe do mundo. E tinha. Posso ter crescido e deixado de lhe escrever essas mensagens, mas nunca duvidei - nem esqueci - a pessoa extremamente bondosa que ela era. Sei que todas as suas virtudes apagam os seus erros.
O que sou devo-o a ti, mãe.

Amo-te.

2 comentários:

Mário disse...

Foi das coisas mais bonitas que já lhe pudeste ter dedicado, Rita. E tenho a certeza que ela gostou onde quer que esteja agora. Beijinho =')

Ricardo Pinto disse...

Ela vai gostar de ler isto esteja ela onde estiver. Acho que os blogs são um bom lugar para lembrarmos os nossos falecidos, se é que me entendes ahah :).