quarta-feira, 8 de julho de 2009

Há sempre um início

Começar. Esta é definitivamente uma das palavras que tenho na lista das coisas difíceis. Não pela dificuldade de a escrever. É, pelo contrário, uma palavra simples de desenhar no papel. Complicado é perceber que ela tem de ser posta em prática.
Começar alguma coisa é sempre um compromisso. Decidimos que queremos iniciar algo, logo devemos ter a ideia de um dia a terminar. E penso que é isso que torna os "começos" sempre tão adiados...porque, no fundo, esse fim me intimida profundamente.
Pensando bem acho que sou uma fugitiva, tanto dos começos como dos finais. Prefiro escrever os "meios" e prefiro também pô-los em prática.
Mas hoje peguei na caneta, alisei a folha branca de papel e consegui: escrevi a primeira palavra. Sim, acho que foi isso que fiz, um começo. Começo de quê? Ainda não sei ao certo. Mas até hoje nenhuma palavra me levou a um qualquer rumo que não soubesse conhecer. Bastou que parasse a ouvi-las...a respirar a sua essência.
E é isso que vou continuar a fazer, a respirar as palavras...

2 comentários:

Joana Clara disse...

E que início! Soberbo ^^

João Manhoso disse...

K belo início sim senhora. Parabéns, continua. Temos artista...